Eslovénia em 3 dias: Bled e Bohinj – Mapa de Papel
Eslovénia Europa

Eslovénia em 3 dias: Bled e Bohinj

Lago de Bled, Eslovénia

Chegava o dia de rumar ao Lago Bled e Lago Bohinj, os dois lagos mais conhecidos da Eslovénia. Do nosso roteiro constavam vários outros pontos de interesse, mas sabíamos que seria difícil conseguir ver tudo. Ainda assim, saímos de Liubliana com muita expectativa para o que iríamos encontrar.

Lago Bled

O Lago Bled (Blejsko jezero), localiza-se no noroeste da Eslovénia, a cerca de 50km de Liubliana, bem perto da fronteira com a Áustria. Os Alpes Julianos, ali ao lado, ajudam a formar uma paisagem natural impressionante. É certamente o maior cartão de visita do país, sendo por isso, muito procurado por turistas de todo o mundo.

Lago Bled Eslovénia

 

Como chegar

Autocarro

Há saídas diárias desde a central de camionagem de Liubliana até ao centro de Bled.

Horários e preços aqui.

É a melhor opção para quem pretende visitar exclusivamente o Lago Bled. O estacionamento nas redondezas do lago é limitado, pelo que explorar a área a pé, é mesmo a melhor ideia.

Comboio

Chegar de comboio não é a solução mais prática, uma vez que a estação de chegada é Lesce-Bled. Esta estação situa-se a 4km do lago, o que implica outra viagem (autocarro ou táxi) até ao destino final.

Horários e preços aqui.

Carro

Foi a nossa opção. O facto de não dependermos de horários e rotas de transportes públicos, deu-nos a flexibilidade e mobilidade que pretendíamos. A rede de estradas na Eslovénia é óptima, e os alugueres são bem em conta, pelo que não hesitámos.

Alugámos o carro por um dia (das 8h às 22h) na Atet por 43€ com todos os seguros incluídos. A viatura e o serviço foram impecáveis, pelo que recomendo vivamente.

Uma vez na estrada, o maior desafio foi resistir a parar de 2 em 2km para tirar fotos a tudo o que víamos!

 

O que ver e fazer

Castelo

O castelo de Bled (Blejski grad) é um castelo do séc. XI, que se ergue no topo de um penhasco com 130m de altura, nas margens do Lago Bled. Este edíficio medieval é um símbolo de Bled e de toda a Eslovénia, além do facto de ser também, alegadamente, o castelo mais antigo do país.

Horários e preços aqui.

Dentro dos seus muros fortificados, é possível percorrer os diversos pátios e contemplar a vista sobre o lago (é qualquer coisa!). Existem também vários museus, uma adega e um restaurante (giro e caro).

Chegando de carro é possível estacionar na entrada do castelo sem grande dificuldade. Para visitar a pé, desde o lago existe um caminho pedonal (vinte minutos a subir) até à porta do castelo. 

De uma forma ou de outra, deixar de visitar não é opção! 

 

Barco Pletna

Há várias formas de chegar à Ilha de Bled. A mais tradicional são os Pletna, os barcos típicos de Bled, construídos por locais pela primeira vez em 1950. Estes podem transportar até cerca de 20 pessoas, sendo facilmente reconhecíveis através das suas coberturas coloridas. A profissão de remador (Pletnarstvo) é muito respeitada, pois nem todos podem sê-lo com sucesso. É necessário muita perícia e técnica para “conduzir” um Pletna.

O custo são cerca de 15€ por pessoa ida e volta, que permite visitar a ilha durante aproximadamente quarenta minutos. Parecendo pouco tempo, na verdade é mais do que suficiente, pois a ilha é bem pequena.

Felizmente no nosso Pletna estávamos apenas nós e mais três passageiros, pelo que a viagem foi bem confortável. Há vários pontos de partida de Pletnas, no entanto recomendo o Mlino Port, pela menor distância até à ilha.

Ilha de Bled

A Ilha de Bled (Blejski Otok) é uma minúscula ilha localizada no Lago Bled, onde existe a Igreja da Mãe de Deus no Lago (tradução mais fiel que consegui). No passado foi uma igreja de estilo gótico, mas após ter ficado destruída num terremoto em 1509, foi reconstruída em estilo barroco.

Visitar implica subir uma escadaria de 99 degraus. Nas celebrações de casamento, é tradição o noivo carregar a noiva ao colo, até ao cimo dessa escadaria.

O Sino dos Desejos, no interior da igreja, será o ponto mais famoso da ilha. Diz a lenda que quem tocar o sino três vezes, verá o seu desejo realizado (nós tocámos, pelo que aguardamos com expectativa, ou não…). Também a Torre do Relógio com cerca de 54m de altura, é um marco importante e destaque de todas as fotos.

O acesso à ilha é gratuito (excepto transporte), porém, é necessário adquirir entrada para igreja e torre. Horários e preços aqui.

De uma forma geral, as atracções inerentes ao Lago Bled não são propriamente baratas, no entanto, achámos que valem muito a pena!

Lago Bohinj

A cerca de 30km a oeste do Lago Bled situa-se o Lago Bohinj (Bohinjsko jezero). É o maior lago de toda a Eslovénia, localizado nos Alpes Julianos já em pleno Parque Nacional de Triglav. 

Saímos de Bled mais tarde do que o planeado, pelo que chegámos a Bohinj já com o dia a terminar. A paisagem durante o caminho impressionou-nos muito. Uma estrada no meio das montanhas, as pequenas povoações de casas de madeira, os campos alternando o verde da vegetação e o branco da neve, tudo digno de um postal turístico. Este trajecto, por si só, já valeu a viagem!

Ao contrário do mais movimentado e turístico Lago Bled, o Lago Bohinj é natureza em estado puro. Com a excepção da pequena igreja de São João Baptista (Cerkev Sv. Janeza Krstnika) e algumas casas e alojamentos, pouco mais existe por ali. Um cenário de paz e tranquilidade onde só ouvíamos os sons da água, dos patos (há imensos) e do pouco vento que se fazia sentir. Um lugar verdadeiramente fabuloso! 

Estacionámos o carro enquanto as montanhas em redor já bloqueavam os últimos raios de sol. A noite caía rapidamente, pelo que tratámos de aproveitar ao máximo o que restava de luz do dia.

Fica a dica, Bled é lindo mas Bohinj não fica nada atrás. Ficámos com muita vontade de voltar um dia, com mais tempo!

 

 

Outros locais para visitar

Jamnik

Jamnik é uma aldeia das mais pitorescas que existe na Eslovénia, localizada entre Liubliana e o Lago Bled. Nesta aldeia situa-se a igreja de São Primo e Feliciano (Cerkev Svetega Primoža). Para muitos trata-se da igreja mais bela do país, muito pela sua localização no topo de uma colina.

Vogel

Vogel é uma montanha com 1992m de altitude no sul do Parque Nacional de Triglav. Existe um teleférico que sai do Lago Bohinj e leva os seus passageiros a 1534m de altitude. Lá em cima, a vista sobre os Alpes Julianos é magnífica.

Radovljica

O centro da cidade velha de Radovljica é uma das mais bem preservadas estruturas na Eslovénia, com edifícios dos séc. XV e XVI. Localizada nas imediações do Lago Bled, esta pequena cidade é dona de uma riqueza cultural e arquitectónica notáveis.

Brezje

Brezje é uma pequena vila e um dos locais de peregrinação do país. É em Brezje que encontramos a Basílica da Virgem Maria (Bazilika Marije pomagaj), tido como o um dos locais mais sagrados da Eslovénia.

Desfiladeiro Vintgar

O desfiladeiro Vintgar (Vintgar Gorge) é um desfiladeiro 4km a noroeste de Bled. Um lugar de contacto com a natureza, ideal para os amantes de trilhos.

Parque Nacional de Triglav

O Parque Nacional de Triglav ocupa 4% do território esloveno, praticamente toda a área dos Alpes Julianos. É considerado um dos mais antigos parques da Europa, onde uma vegetação riquíssima, o estado intacto da natureza e várias espécies de animais, algumas em vias de extinção, fazem as delícias dos visitantes.


 

Depois de percorrermos grande parte da Europa, a Eslovénia excedeu todas as expectativas que tínhamos. Este pequeno país saltou rapidamente para o topo da lista dos nossos países preferidos. Foi uma passagem curta demais, pelo que tencionamos voltar um dia.

Até sempre Slovenija!

 

 

Deixa um comentário